sábado, fevereiro 26, 2011

Quimioterapia - Capítulo I

Ontem, dia 25 de fevereiro de 2011, fiz minha primeira sessão de quimioterapia.
Saí de casa as 6 e meia da manhã e parti pra cidade onde eu tenho feito meu tratamento. Cheguei lá 9 e meia e tive de esperar um pouco pra ser atendida pelo médico, que atrasou um pouco.
Fui atendido umas 11 e meia. Conversa longa com médico, conversa longa com enfermeira, fui eu pra agulha...

Hora que eu saí da sala do médico tive uma crise de choro básica, chorei chorei chorei abraçada em minha mãe... O ambiente hospitalar sempre me deixa triste. Em casa eu sempre fico bem, mas quando chega lá...
Toda a equipe do hospital é maravilhosa, foram todos muito atenciosos, tudo muito certo.

Dois técnicos em enfermagem são os responsáveis por cuidar da medicação. Ela foi aplicada um pouco antes da 1 e meia da tarde. Fiquei sozinha em um quarto, aproveitei pra tirar breves cochilos, sendo que dormir mesmo é difícil, porque a cada dois minutos entrava alguém pra ver se estava tudo bem e se a agulha não havia saído da veia. E isso é ótimo. A equipe realmente é muito atenciosa. E tudo pelo SUS.
Minha sessão durou quase 5 horas e foi tudo tranquilo, só um medicamento que é horrível e causa uma dor terrível. E ainda é o que mais demora pra ser aplicado.

Depois da sessão eu saí do hospital super bem, fui comer, e voltei pra cá. Chegamos aqui era mais de 9 horas da noite.

Ontem eu tive enjôos leves, mas estava bem disposta.
Hoje eu dormi praticamente o dia todo, mas comi bem, sempre aos poucos e dando preferência a alimentos gelados.
Água, muita água, beeeeeem gelada.
Recebi ligações de amigos e pessoas queridas.
Uma coisa que me animou muito foi ver que meus nódulos já diminuiram.

Nos últimos dias meu blog teve uma repercussão muito grande e alcançou um número de acessos que eu nunca imaginei ter. Tudo graças a uma bandeira que venho tentando levantar aqui: pela clínica oncológica de Paranavaí.
Começou de uma maneira que eu nem esperava obter muitas respostas, perguntando ao prefeito, Sr. Rogério a respeito dela através do twitter. Depois propus ao jornalista Joaquim de Paula que fizesse uma matéria sobre isso, até para esclarecer, porque eu ouvi boatos sobre isso, mas queria saber o que realmente vem acontecendo (www.joaquimdepaula.com.br).
Pra minha grande surpresa, quem me explicou toda a tramitação da clínica foi o deputado Teruo Kato, que pessoalmente me ligou e fez questão de explicar a quantas anda o processo pela clínica.
Viram aí que eu contei a trajetória do meu dia, saí de casa 6 e meia da manhã e cheguei de volta ,ais de 9 da noite, isso que disponho de transporte particular pra isso. E quem depende de ônibus?. Se eu pudesse fazer meu tratamento aqui mesmo esse tempo diminuiria muito. E essa é a briga, briga pacífica.

Agradeço a todos que entraram, leram meus posts e se sensibilizaram, e gostaria de lembrá-los que há muitas outras pessoas que passam pelo mesmo ou até por situações bem piores que a minha e que precisam de ajuda. Pra isso, existem entidades que prestam ajuda com o apoio de voluntários. Aqui em Paranavaí temos o amigo Gil Júlio que trabalha com isso há mais de 20 anos, e muitas outras pessoas.


Chega, né???rs
Obrigada a todos que estão por mim. Continuem torcendo que a parte mais difícil ainda está por vir.

8 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pela coragem. Você vai ficar boa logo. Estou torcendo muito por você.

Cássia disse...

Estamos com vc pro que der e vier!Fico feliz que tenha dado tudo certo!

jisa disse...

Não preciso nem dizer que torço e rezo por vc em todos os momentos de minha vida né.....vc jáé uma vencedora. Ti amo

fatima disse...

Peço a Deus todos os dias em minhas oraçoes por vc, a torcida e grande e Deus vai nos ouvir, eu creio. beijos linda

Claudinei disse...

Você vai melhorar bem mais rápido do que está imaginando, minha linda, Papai do Céu joga no nosso time. Te amo muito, muito...
Deus te abençoe e te dê muita força. Nós vamos vencer!!!

Luma Rosa disse...

O que não nos enfraquece, fortalece.

Retirei um nódulo do pescoço, mas antes disso lutava para ele não crescer, porque estava entre a jugular e a carótica pressionando as artérias - em alguma hora o sangue iria parar de ser levado para o meu cérebro. Fiz as sessões de quimio recomendadas e estou aqui, firme e forte! Você tem grandes possibilidades de cura, não fica triste!! A tristeza só atrapalha. Sei que é difícil manter o "astral" - eu recorri até mesmo ao Reiki para resgatar o meu equilíbrio.
De tudo isto que está acontecendo, você ainda encontrou forças para lutar por um bem comum e isso é admirável. Parabéns!!

Diniz Neto disse...

Tenha muita fé. Coragem não lhe falta.

Reginaldo Sérgio disse...

Sei da gravidade e dos cuidados q vc deve ter nesse período. Mas vc é tão centrada e parece já ter aprendido tanto com essa doença q é inútil ficar aqui aumentando conversa. SAIBA Q TE DE ADMIRO E ESTOU COM VC NESSA.
GRANDE BEIJO LINDA.