segunda-feira, abril 11, 2011

Efeitos Colaterais...

Desculpa por ter deixado o blog às moscas por uns dias, mas quando não estou mal estou ocupada... o Mestrado tem me ocupado bem o tempo e a cabeça.

Hoje resolvi falar sobre os efeitos colaterais da quimio.. só eles...

Ah... os efeitos colaterais são cruéis demais. 


Enjôo, mas é uma coisa estranha, porque dá nojo de comida, só de pensar dá vontade de vomitar.
Tem horas que dá aquela fome absurda e de pensar em comida dá ansia. Isso varia de sessão pra sessão, as vezes dura dois dias, dessa última vez durou uns 5 dias.

Eu só conseguia comer coisa azeda. Pepino em conserva foi a minha salvação.
Água eu só conseguia tomar com limão... um limão inteiro num copo de água era a coisa mais deliciosa do mundo.

Não posso ainda nem pensar em carne moída, leite com café e pão francês: coisas que comi no hospital. Nada que eu como lá consigo comer de novo depois. Não por ser ruim, a comida de lá é ótima, mas pela situação, eu acho.

Aí tem as dores no corpo, que são trash... a água do chuveiro batendo no corpo parece que são agulhas sendo espetadas em cada pingo. Principalmente nas pernas. E essa dor é constante, dura uns dois dias.  Dói demais, demais mesmo.

Tontura por causa dos medicamentos fortes e da falta de comida que dura uns 4 dias... Normalzinho, né?


Queda de cabelo e dos pelos do corpo... que me levaram a cortar o cabelo curto. Não deixou de cair, mas eu sinto bem menos o impacto com o cabelo assim curtinho. O que acharam???


E foi isso que observei...

E sério, eu pareço forte quando tô bem, mas na semana mal eu desabo, choro, grito, reclamo, xingo, esperneio, juro pra mim mesma que eu vou desistir de tudo... mas passa.


Ah, quero deixar aqui o post que o Luiz fez pra mim no blog dele que me fez chorar horrores de emoção ao ler:





Como sempre, quero agradecer a todos que estão torcendo por mim e pedir para que continuem torcendo que a luta aqui não é nada fácil e eu preciso da força de vocês.

PS: Queria compartilhar a grande alegria que tive essa semana de ganhar uma afilhada, a Bárbara, filha da minha grande amiga Lu, que é mais que uma irmã. Me sinto mais que honrada, porque ser madrinha é tipo ser uma vice-mãe, né??? E o amor que eu tenho por elas é imenso.


Beijoks e até a vista *-*

13 comentários:

Anônimo disse...

Isso vai passar. O seu pesadelo vai acabar antes do meu.
Boa sorte, e paciencia, por que o sofrimento é temporário

luizfzago disse...

Boa noite! Um dos primeiros a ler, que orgulho! XD Fico muito feliz em ver como vc ta reagindo a toda essa situação, to na torcida da primeira fileira já! E também me deixa muito feliz ver que você gostou do meu post! Por fim, resta dizer que você pode ficar tranquila que fica muito bem cabelo curto! E to sendo sincero, hein! =D Bjao!

Aruanda disse...

To rezando por vc!

Reginaldo Castro disse...

Minha flor, tô aqui na torcida pra q isso passe o mais rápido possível... Reze, aprenda, se purifique em meio a esse sofrimento q sabemos pela sua descrição, não ser fácil. Estou confiante q vc vai sair vitoriosa desta luta. Aliás, tenho certeza... E em breve estaremos todos juntos comemorando. Um beijo, fique com Deus e confie!

fer disse...

sei que não podemos nem imaginar o que vc está passando, mas sei tb que tudo isso vai ter fim, e cada minuto de sua vida será muito melhor depois dessa vitória!!! força!!!!

Jisa disse...

Em primeiro lugar, obrigada por me considerar sua vice-mãe, adorei.... e eu te considero como minha filha e a amo como tal. Fiquei muito feliz por vc ser madrinha da Bárbara, esse momento é muito importante. Quanto ao cabelo curto ja te disse, ficou com jeito de piazinho e com carinha de princesa....linda, linda.... Quanto aos efeitos, meu amor, tenha fé, tudo vai pasar e vc vai sair fortalecida, continuo rezando e torcendo sempre por vc. Ti amo muito, bjos....

Anônimo disse...

Se os nódulos estão diminuindo, isso é o que importa! O pesadelo está acabando

JOSÉ ROBERTO BALESTRA disse...

Aí sim, Aline. Assim é que se fala. Pra fora, mostrando seu lado humano, que sofre, mas também o seu cerne, que resiste, e aos poucos vai vencendo a luta sob o Olhar do Creador,e o que é mais importante, com muito amor próprio e bela. Parabéns Aline. Agora a gente pode ficar mais tranquilo diante da justificativa; o sumiço tem mais motivos: sua evolução! abs

Gislene disse...

Aline, vc ficou super sexy nesse novo visual. O lacinho cor de rosa super combinou com esses peitões maravilhosos. Sua beleza está intacta, a de fora e a de dentro. Na verdade uma só é reflexo da outra. Isso, nota-se pela sua força ao verter em palavra a dor. Mas fica tranquila! Como diz o poeta "nada como o tempo após um contratempo". Bjão

Janayna disse...

Primaaaaa
nunca te vi tão peituda, que linda essa foto, amei...
Loguinho vc tá zera, uma fase ruim, mas vai passar...
te amo te amo te amo
beeeijo

eduardo disse...

olá, não lhe conheço mas quero te deixar uma energia muito positiva.... Que só o que for bom venha pra vc! E que vc supere tudo.... Tudo mesmo! Vou rezar pra vc.

JOSÉ ROBERTO BALESTRA disse...

Aline, com grande alegria me vi surpreendido ao vê-la hoje ao meio-dia, em entrevista ao jornal da RPC/Globo. Eu estava em casa de amigos, de passagem, quando de repente a reconheci na telinha. Chamei atenção deles pra sua fala.

Enquanto isso, sinceramente, pensei naquele instante: - Que ótimo! Aline assumiu mesmo, de vez, o comando total da luta pela Clínica Oncológica em Paranavaí, apesar de tudo o que se passa com ela! É uma admirável vencedora!!

Alguns dos posts que tenho publicado em meu blog, Aline, tem sua luta como inspiração. “NADA É SEM TEMPO NEM QUÊ NEM PRA QUÊ” é um deles. Outros virão, com certeza. A hora é o Creador quem Faz...

Enfim, viu como você não consegue NEM PODE MAIS deixar "a causa"? Parabéns, mais uma vez.

Abs e um ótimo fim de sábado pra você e os seus em casa. Saúde!!!

Anônimo disse...

Olá Aline, meu nome também é Alline, mas com dois LL rs. Vi sua reportagem hoje e consegui achar o seu blog. Me emocionei muito pois me indetifiquei com muitos dos seus sentimentos, enetndi perfeitamente a sua dor e a sua angústia. Eu sou de Londrina, em Fevereiro de 2009 me casei e me mudei pra Umuarama, tinha tudo pra ser o ano mais feliz da minha vida,porque eu também tinha passado no mestrado em Educação da UEM, mas em Outubro em plena produção descobri que eu tinha uma doença chamada mielodisplasia, basicamente a medula começa a poduzir um sangue deficiente, minha vida desabou, tive que voltar pra Londrina e deixar marido, mestrado, trabalho tudo pra trás e viver todas s angustias de se saber que vc pode estar condenada. A única maneira de cura era o transplante de medula óssea, fui encaminhada pra Curitiba em Janeiro, mas meu único irmão não era compatível, começo a luta a espera de um doador, quanta agústia, sabia que a minha úica chance era o transplante. Enquanto eu esperava tive inúmeras internações e os médicos indicaram um tratamento com um remédio importado pro meu problema não virar leucemia, daí as coisas piorariam muito, mas quem disse que SUS cobre? Graças a Deus tinha um plano se saúde em Londrina e eles pagaram, mas sofri muito os sintomas e reações eram guais ao da quimioterapia. Mas em Maio a boa notícia, conseguiram achar dois cordões umbilicais nos EUA, era a minha chance, existia muitos riscos pq é um tipo novo de transplante, eu ia ser a primeira no Paraná, mas era minha única chance, apesar do medo eu não deixei escapar. Dia 01/10/2010 fiz o transplante, foi um sucesso, com 26 dias saí do hospital, mas tive que voltar por causa de uma febre e descobri mais um grave problema, um câncer no intestino, tive que fazer uma cirurgia pra retirá-lo e fiquei mais 4 meses internada. Ufa, todo o tempo eu me fazia as mesmas perguntas que vc, por que? quando isso vai passar? Eu só quero voltar pra minha "vidinha medíocre". Chorei muito também, fiquei depressiva alguns dias, sem querer levantar da cama, mesmo assim eu me esforçava. Fiquei três meses sem conseguir comer quase nada, e quse morri por isso, mas não desisti da minha vida, eu a amo demais pra fazer isso. Hoje a maré está baixndo, ainda estou em Curitiba, mas na semana que vem devo ter alta, vou voltar pra Londrina, a vida ainda vai demorar pra voltar ao normal, mestrado e trabalho só ano que vem, ainda tenho mais uma cirurgia pela frente, mas sei que vou vencer, mesmo que exista dias em que eu duvide disso, por que me sinto tão fraca e tão impotente diante de tudo.
Te desejo muita força! Tenha fé nada na nossa vida é por acaso, se quiser se comunicar comigo, meu e-mil é alline_mikaela@hotmail.com
Ps: Também fiquei careca, antes fiz como vc cortei curtinho o cabelo, todo mundo amou, eu também gostei do seu, na reportagem ainda estava comprido achei melhor mais curto, de verdade, não se assuste com o fato de ficar careca é menos dolorido do que parece, existem lenços lindos que dão um charme e não ter que arrumar cabelo de manhã é um alívio, logo cresce, o meu já tá grandinho e veio de cor diferente...
Um abraço carinhoso Alline