quinta-feira, outubro 18, 2012

Não queiram saber de mim...

Não queiram saber da minha vida.
Saber pelo que estou passando não vai fazer bem pra ninguém, nem pra vocês, nem pra mim (muito menos pra mim). Algumas pessoas talvez compreendam porque não quero falar sobre isso, certamente porque já passaram por isso e sabem como é chato ter que ficar repetindo 30 mil vezes a mesma história. Como comentou o Dr. Balestra no meu último post "em casa de enforcado não se fala em corda". Muita gente deveria conhecer esse ditado.

Eu sumi da internet por uns dias só porque ela não estava funcionando, e já havia gente achando que eu tinha morrido. As vezes tem amigo que posta foto comigo, e tem gente que pensa que eu morri. Espero não satisfazer o desejo desses urubus tão cedo, por enquanto tô aqui, vivona, e, dentro das minhas possibilidades, muito bem, obrigada.

Meu maior problema é estar abandonada. Não tem um santo hematologista realmente empenhado em fazer algo por mim. É uma falta de respeito, humanização e consideração por parte dos médicos. Ninguém assume meu caso. É um caso complicado, já tive várias intercorrências (algumas delas por culpa de médicos, as que mais me prejudicaram, na verdade), mas será que eu não mereço um médico que confie na minha recuperação? Que se empenhe no meu caso? Que queira me curar? Cadê a história de 100% de esforço onde houver 1% de chance?

Procura-se um hematologista que me queira. DESESPERADAMENTE.
Porque hoje eu nem consigo abrir a boca sem escorrer uma lágrima do meu olho. Porque hoje meu dia começou merda.
Porque eu tenho medo de morrer.
Porque os médicos fazem um juramento.
Até fui procurar o juramento:


“Eu, solenemente, juro consagrar minha vida a serviço da Humanidade. Darei como reconhecimento a meus mestres, meu respeito e minha gratidão.  Praticarei a minha profissão com consciência e dignidade. A saúde dos meus pacientes será a minha primeira preocupação. Respeitarei os segredos a mim confiados. Manterei, a todo custo, no máximo possível, a honra e a tradição da profissão médica. Meus colegas serão meus irmãos. Não permitirei que concepções religiosas, nacionais, raciais, partidárias ou sociais intervenham entre meu dever e meus pacientes. Manterei o mais alto respeito pela vida humana, desde sua concepção. Mesmo sob ameaça, não usarei meu conhecimento médico em princípios contrários às leis da natureza. 
Faço estas promessas, solene e livremente, pela minha própria honra.”
 Será que os hematologistas não fazem esse juramento?

Sei que estou cansada, cansada e mais cansada de tudo dando errado. E não é por minha culpa.
E preciso um pouco de vida que não seja a minha. Saí da bolha. E não quero falar sobre o assunto. Porque existem coisas bem melhores que a minha vida pra conversar e que me fazem bem. Minha vida não me faz bem.

E, só pra reforçar: não queiram saber de mim. Me sinto uma personagem de tragédia grega, e não, isso não me faz bem.

Força e fé.


PS: Estão dizendo aí pela internet que hoje é dia do médico. Se realmente o for, parabenizo Dr. Bruno, meu nefrologista, que é o único que se empenha realmente por mim. Um que realmente demonstra humildade e humanidade.

10 comentários:

Anônimo disse...

Cheguei no seu blog por meio do da Larissa. Ainda pretendo ler tudo. Também estive na mesma situação, sem médico que admitisse meu caso. Quem me aceitou foi o Dr. Nelson Hamershlack do Hospital Albert Einstein em São Paulo. Também já tive problema renal (precisei até de hemodiálise). Hoje estou fazendo tratamento de linfoma, via judicial, com um medicamento novo, brentuximab, autorizado nos EUA, mas ainda não pela ANS.

Anônimo disse...

Aline, complementando a postagem anterior, o medicamento é revolucionário mesmo. Indicado para linfoma recidivado e, no meu caso, com três sessões, já reduziu 90% do tumor. Não tem efeitos colaterais para o figado, é uma imunoterapia. Soube de outra garota aqui em SP que está no mesmo tratamento. No caso dela, ela pediu ao Ministério Público para ingressar com a ação contra o Estado. Se puder dar um contato de email para conversarmos. Abs,

As três partes de mim disse...

Me adicione no facebook, procure por Aline Copceski, ou escreva para aline_acep@hotmail.com.

Muito obrigada.

Anônimo disse...

oi aline TB estou vivendo tudo isso que VC ta passando mas olha sei que pode parecer frase feita mas acredite e use mesmo todos os meios de comunicacao para te ajudar. VC pode! E vai conseguir superar isso! Otimismo e de vez em qnd passarei por aqui pra falar de novela se quiser kkk..

Anônimo disse...

Olha, você vai me odiar pelo que vou escrever... Mas, preciso ser honesta, pois é a única forma de despertá-la.
Li todos os comentários do seu blog.
Fiquei no entendimento de que sua atitude e seu comportamento podem ser parte do problema.
Veja só: quem está com problema nos rins, não pode comer barreado...
quem está em tratamento de câncer não pode nem mesmo chegar perto do mar... Perder peso é muito fácil, mas exige força de vontade e determinação...

heloisavianna@bol.com.br

Anônimo disse...

Qual é o seu problema o Heloisa Vianna? Se toca tudo que ela precisa neste momento não é de uma lição de moral, e sim de palavras de carinho e respeito. Vc diz aí sobre força de vontade e determinação, se vc vive um cancer deveria saber que isso é o ar que ela respira, pense um pouco antes de postar algo principalmente a alguém que luta com unhas e dentes pra sobreviver. Fica a dica!!!! E te indico ler um pouco no site da oncoguia algumas formas de ajudar segue o link http://www.oncoguia.org.br/conteudo/dicas-e-orientacoes/458/172/ Fiquem na Paz do Senhor!!

As três partes de mim disse...

Até porque eu como barreado todos os dias da minha vida né, não foi um episódio isolado, nem fazia quase 20 anos que eu não comia um.
E por que uma pessoa com câncer não pode chegar perto do mar? Porque tem que ficar sofrendo que nem um condenado vomitando na cama o dia inteiro? Nunca ouvi isso não.
Faz quimioterapia pra você ver como perder peso é fácil, fia. Eu não engordei porque sou uma relaxada inútil, engordei por causa da quimioterapia.

Vai entender das coisas primeiro pra dar lição de moral nos outros.


SAI PRA LÁ URUCUBACA.

Anônimo disse...

Olha, como percebi que há bastante desinformação em você e nas pessoas que a cercam, volto ao assunto.
Meu filho tem linfoma de Hodgkin. Está em tratamento no Hospital AC Camargo, em SP.
Eu também era como você (e suas "amigas"), completamente desinformada.
Talvez esteja na hora de você trocar de "amigas" e ler mais sobre as mudanças que você precisa urgentemente fazer na sua vida, que poderão ajudá-la bastante.
Meu filho foi proibido de chegar perto do mar, apesar de morarmos no litoral paulista. Talvez você deva conversar sobre isso com seu médico...
Mudamos completamente nossa alimentação, praticamente eliminando os alimentos de origem animal (carnes e laticínios), além dos produtos industrializados (conservas, enlatados, salgadinhos, etc.). Esses alimentos aumentam o ácido úrico, o colesterol, sobrecarregam os rins e o fígado.
Aumentamos o consumo diários de frutas, legumes e cereais integrais. Para quem está em tratamento contra o câncer, toda a ajuda faz a diferença.
Os exames de sangue dele deram um salto surpreendente para melhor.
No seu caso, você precisa ajudar seus rins. Não os sobrecarregue comendo alimentos errados... Não há remédios mágicos para isso. Nem médicos que possam ajudá-la, se você própria não tomar as rédeas de sua vida.
TODOS OS DIAS nós fazemos caminhada de 1 hora de duração. Agora ele começou a frequentar uma academia, apenas fazendo uso da esteira e exercícios para fortalecer as pernas. Não dá ainda para fazer exercícios com os braços, por causa do catéter.
Meu filho perdeu todo o inchaço que havia acumulado (que você chama de gordura). Apenas com alimentação correta e caminhadas diárias.
Não se zangue comigo por falar coisas que você precisa fazer.
Ah, e mande essas "amigas" para a PQP, pois apenas estão falando o que você gostaria de ouvir, não o que você precisa ouvir de verdade...

heloisavianna@bol.com.br



Anônimo disse...

Aline e Heloisa por favor não quis ofender ninguém com meu comentário mas se ofendi, desculpe, pois apenas me compadeço com essa situação, pois sofro do mesmo mal, mas entendo que todos tem direito a ter sua opinião, e não pretendo atacar ninguém se pensa diferente de mim. Até o tratamento do cancêr pra cada tipo existe um tratamento diferente. Espero que vcs duas consigam superar todas as dificuldades que venham a aparecer e que estejam sempre na Paz do Senhor!

Mariana disse...

Eu também odeio ter que estar repetindo a mesma coisa, mas as vezes se é um assunto de saúde, sobre tudo da parte de nefrologia, a família e os amigos querem saber os resultados e o que falou o médico especialista.